BLOCO
Blog dos Coordenadores ou Blog Comunitário
da
ComUnidade WirelessBrasil

Março 2009               Índice Geral do BLOCO

O conteúdo do BLOCO tem forte vinculação com os debates nos Grupos de Discussão  Celld-group e WirelessBR. Participe!


17/03/09

• WiMAX de Março (05) - 2009 - "Sagem quer WiMAX" + "Projeto Poseidon"

de Helio Rosa <rosahelio@gmail.com>parawirelessbr@yahoogrupos.com.br, Celld-group@yahoogrupos.com.br
cc Jana de Paula <jana@e-thesis.inf.br>
data 17 de março de 2009 11:22
assunto WiMAX de Março (05) - 2009 - "Sagem quer WiMAX" + "Projeto Poseidon"

Olá, ComUnidade WirelessBRASIL!

Continuamos repercutindo o tradicional evento virtual proporcionado pelo Portal e-Thesis conhecido como "WiMAX de Março". :-)


01.
Aqui estão os "posts" anteriores sobre o "WiMAX de Março" 2009:
16/03/09
WiMAX de Março (04) - 2009 - "Harris Stratex compra Harris" + "WiMAX apenas como extensão do DSL?"
15/03/09
WiMAX de Março (03) - 2009 - "WiMAX e o regulador" + "100 operadoras de WiMAX em 2009"
15/03/09
WiMAX de Março (02) - 2009 - Segundo Boletim
14/03/09
WiMAX de Março fechando o verão (01) - 2009 - "Evento virtual" - Primeiro Boletim

02.
Convidamos a todos para participar deste "evento", lendo as matérias com calma, comentando, interagindo e estimulando o debate.

03.
Aqui estão os artigos e notícias referenciados nos dois primeiros boletins:
 
[05/03/09]   WiMAX e o regulador por Ken Wieland 
[05/03/09]   Forum prevê 100 operadoras de WiMAX, este ano por e-Thesis 
[05/03/09]   Telsima: um bom negócio para a Harris por Om Malik 
[05/03/09]   WiMAX: apenas uma extensão do DSL? por e-Thesis 
[05/03/09]   Sagem quer voltar à mobilidade com o WiMAX por e-Thesis (transcrito mais abaixo)
[02/03/09]   Poseidon: projeto reúne WiMAX e 4G em Paris por e-Thesis (transcrito mais abaixo)
[12/03/09]   Tudo claro no WiMAX da Clearwire por Ken Wieland
[12/03/09]   LTE e WiMAX, o que é mais importante: cobertura ou banda? por Robert Syputa
[12/03/09]   Apesar dos descrentes, receitas com assinantes de WiMAX crescerão 4,500% em 2009 por ABI Research  
[12/03/09]   Nokia opta por LTE e relega WiMAX a nicho por e-Thesis
[12/03/09]   WiMAX: novos perfis de teste

04.
Estamos anotando também as matérias veiculadas pela mídia eletrônica em março.
Transcrições de hoje:
Fonte: Teletime
[09/03/09]   Certificação pode ser retomada nesta semana por Mariana Mazza
Fonte: Teletime
[11/03/09]   Decisão sobre certificação de equipamentos é adiada por Mariana Mazza

Transcrições anteriores:
Fonte: Baguete
[02/03/09]   Bortolini assume a Parks por Gláucia Civa
Fonte: Invest News
[02/03/09]   Neovia nomeia novo Diretor Financeiro
Fonte: Teletime
[06/03/09]  Bornhausen também cobra Anatel sobre faixas de 2,5 GHz por Mariana Mazza 

05.
A história deste envolvimento da ComUnidade e do e-Thesis com o WiMAX está contada nestes "posts" do nosso BLOCO:

"História do WiMAX" na ComUnidade (5) - Terceiro "WiMAX de Março" (2008)
"História do WiMAX" na ComUnidade (4) - Segundo "WiMAX de Março" (2007)
"História do WiMAX" na ComUnidade (3) - Primeiro "WiMAX de Março" (2006)
"História do WiMAX" na ComUnidade (2) - Criação da "Revista do WiMAX" (2004)
"História do WiMAX" na ComUnidade (1) - "Primeira referência" (2003)

Comentários?
Ao debate!  :-)

Boa leitura!
Um abraço cordial
Helio Rosa
Thienne Johnson

Novas Seções do site comunitário WirelessBR:
TV Digital - Informações básicas / TV Digital - "TV no Celular - Tecnologia "One Seg" / TV Digital - Interatividade - Ginga MVNO - Mobile Virtual Network Operator - Operadora Móvel Virtual / Reversibilidade do "backhaul" / "Loteamento" da Anatel / PLC - Banda Larga pela Rede Elétrica / Telebrás e Eletronet / Crimes Digitais / Portabilidade Numérica  / WiMAX / Relação de trabalhos e artigos de Colaboradores

----------------------------------------------

Fonte: e-Thesis
[05/03/09]   Sagem quer voltar à mobilidade com o WiMAX por e-Thesis

Após se separar da sua marca de telefonia celular (Sagem Mobile) e de sua sede mãe (o grupo Safran), a Sagem Communications passa a ser controlada pelo grupo de investimentos norte-americano The Gores Group. Especialista em eletrônica de massa (terminais de ultra banda larga, decodificadores, telecopiadores etc.) a empresa está em conversas avançadas para comprar a Gigaset Communications, filial da Arques Industries e da Siemens Ag, especializada em terminais sem fio de Dect, VoIP e WiMAX, para residências e empresas.

"Esta aquisição deve reforçar o objetivo da Sagem Communications, de se tornar líder mundial em terminais de banda larga, soluções de convergência e soluções digitais residenciais", explicou Patrick Sevia, presidente da Sagem Coomunications.

No caso de sucesso a operação de compra, a Sagem poderá assinar seu retorno em grande estilo na telefonia sem fio doméstica e de escritório. Resta, no entanto, saber se o o grupo não deveria igualmente levar em conta uma oferta de telefonia celular, afim de cobrir as necessidades de serviços quadruple play da parte de suas operadoras clientes.
Fonte: Neteco

---------------------------------------

Fonte: e-Thesis
[02/03/09] Poseidon: projeto reúne WiMAX e 4G em Paris por e-Thesis

Iniciativa do Polo System @ Paris-Region, o projeto Poseidon - federação de construtores, exploradores de rede, universidades e pequenas e médias empresas (PME) -, visa criar na Île de France o primeiro ambiente experimental de comunicações sem fio em banda larga sob as normas dos padrões de WiMAX IEEE802.16e e 802.16m e das evoluções do GSM & UMTS, ou seja, a LTE. A sociedade Webdyn, engajada no projeto, apresentou os projetos de dupla conectividade WiMAX/HSxPA.

Apesar de sua dimensão experimental, a rede Poseidon estará aberta a fabricantes, exploradores, coletividades locais, PME/PMI etc. a fim de testar e validar novos serviços e tecnologias do tipo 4G. O projeto compreende três fases: implementação de infra-estruturas para medições e experimentações, definição de técnicas avançadas de transmissão e de operação de rede e depois sua afinação de acordo com as medidas, prototipagem rápida e tratamento de vídeo.

A Webdyn recebeu tarefa de avaliar a coexistência do WiMAX e do HSxPA nas conexões de internet em banda larga. Estas conexões podem ser utilizadas como simples roteadores IP de PC ou como terminal móvel pra transporte de vídeo.

Segundo o comunicado do Pólo, hoje as operadoras móveis se orientam em direção aos serviços globais, o que inclui tecnologia e capacidade de banda cada vez maior, a fim de garantir novos usos e modos de comunicação, particularmente aplicações de vídeo. No momento da formação da 4G e da LTE, uma questão se coloca: quais são as arquiteturas e tecnologias de banda larga móvel a serem exploradas, a fim de responder às necessidades do grande público e dos profissionais? A esta pergunta se segue outra: quais são as tecnologias com custos similares às que se adotam atualmente? Pelo visto, a resposta para as duas perguntas é WiMAX e LTE, por enquanto.

---------------------------------------

Fonte: Teletime
[09/03/09]   Certificação pode ser retomada nesta semana por Mariana Mazza

O presidente da Anatel, embaixador Ronaldo Sardenberg, decidiu incluir na pauta de discussões do Conselho Diretor desta semana o processo sobre o adiamento da certificação e homologação de equipamentos na faixa de 2,5 GHz usando tecnologia WiMAX. Sardenberg teria até o dia 15 para analisar o documento antes do término do seu último pedido de vistas, de 30 dias. A surpresa está no fato de que o processo sobre a nova destinação para a faixa de 2,5 GHz não foi incluída na pauta de deliberação pelo conselheiro Antônio Bedran até o momento. Assim, é provável que o dilema sobre a certificação e homologação de equipamentos seja resolvido mesmo sem uma deliberação sobre o uso das faixas de radiofrequências em 2,5 GHz.

A necessidade de que os dois assuntos fossem tratados de forma conjunta vinha justificando informalmente a decisão da Anatel de suspender a certificação e homologação de equipamentos. Mas nas últimas semanas, essas argumentações podem ter perdido força contra as pressões de diversos setores, dentro e fora da Anatel, para que os equipamentos WiMAX voltassem a ser homologados.

Nesta semana, o deputado federal Paulo Bornhausen (DEM/SC) pressionará a Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTI) da Câmara dos Deputados para agendar o mais rapidamente possível uma audiência pública sobre o tema. E, no Conselho Diretor da Anatel já está à disposição dos conselheiros um parecer da procuradoria especializada da agência recomendando a retomada imediata dos procedimentos de homologação.

Parecer contundente

O documento da área jurídica vai ainda mais longe: conclui que, mesmo que a Anatel tivesse justificado sua decisão de adiar a concessão de certificados, a atitude estaria irregular. A suspensão das análises pela área técnica já dura quase 10 meses e foi tomada em cumprimento a uma ordem informal do comando da agência. A decisão estaria formalizada na ata da 163ª Reunião Técnica da agência, documento este jamais divulgado pela Anatel. Segundo a análise jurídica, o texto é apócrifo, esvaziando qualquer validade legal da ordem de adiamento.

Em dezembro do ano passado, a própria equipe técnica da Anatel cobrou uma atitude mais contundente do Conselho Diretor caso este quisesse manter a suspensão. Foi com base neste processo que a Procuradoria da Anatel foi provocada pela conselheira-relatora Emília Ribeiro. Emília já divulgou seu voto no mês passado, favorável à retomada imediata das certificações. Mas a deliberação foi suspensa com um pedido de vistas do presidente da Anatel por 30 dias.

Ato vinculado

O documento da área jurídica pode complicar a manutenção dos limites à certificação dos equipamentos de WiMAX em 2,5 GHz. Isso porque, na análise dos procuradores, a Anatel não pode impedir a emissão dos certificados por este ser um "ato administrativo vinculado". Na prática, atos vinculados apenas podem ser concedidos ou negados pelo órgão responsável. Assim, não haveria como se avaliar neste caso a "conveniência e oportunidade" da concessão do certificado. Uma vez preenchidos os requisitos técnicos e legais para a solicitação da homologação do equipamento, a agência deve conceder seu aval aos fabricantes.

Desde que parou de homologar os equipamentos de WIMAX em 2,5 GHz, a Anatel tem justificado informalmente sua decisão alegando a necessidade de se avaliar esse processo em conjunto com os estudos para a alteração da destinação desta faixa. A atitude, no entanto, pode prejudicar a indústria que tem ficado sem poder comercializar estes produtos, até que a Anatel chegue a uma conclusão sobre o caso todo. Na semana passada, representantes da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) estiveram na Anatel cobrando rapidez nas análises sobre o futuro desta faixa e da de 3,5 GHz, onde também são usados equipamentos com tecnologia WiMAX.

Sem SCM

Outro argumento recente para a manutenção do adiamento tem sido o fato de que as empresas com licença em 2,5 GHz não possuem direito de uso de radiofrequência nessa faixa associado à prestação do Serviço de Comunicação Multimídia (SCM). Dessa forma, não existiriam empresas aptas a usarem estes equipamentos, caso eles fossem homologados, na prestação de serviços de banda larga via WiMAX.

Esta análise também é rebatida pela análise jurídica da Anatel. O entendimento é que a situação das empresas com relação à oferta de serviços não pode ser relacionada como motivação para bloquear a certificação de equipamentos. "O fato de hoje nela (faixa de 2,5 GHz) só poder ser prestado MMDS, por disposição dos termos de autorização e de eventuais atos administrativos de efeitos concretos não é justificativa para se adiar a homologação", avalia a procuradoria. Imaginar que as empresas, de pose dos equipamentos, irão prestar um serviço da qual não estão autorizadas feriria, inclusive, a presunção de inocência.

------------------------------------

Fonte: Teletime
[11/03/09]   Decisão sobre certificação de equipamentos é adiada por Mariana Mazza

O processo que poderia confirmar a retomada das certificações e homologações de equipamentos para uso na faixa de 2,5 GHz com tecnologia WiMAX não foi deliberado na reunião do Conselho Diretor da Anatel desta quarta-feira, 11. Pouco antes do início da reunião, o presidente da agência, embaixador Ronaldo Sardenberg, decidiu retirar o tema da pauta do encontro. Desde que pediu vistas do processo no mês passado, Sardenberg é o responsável pela reinclusão do tema na reunião deliberativa. A justificativa é que esta deliberação poderia indicar para o mercado a nova destinação da faixa de 2,5 GHz, o que só será decidido após discussão específica sobre este tema, em processo hoje na mão do conselheiro Antônio Bedran.

A necessidade de que os dois assuntos sejam analisados de forma conjunta tem sido apresentada como argumento pela Anatel desde que o assunto da certificação voltou à tona, no ano passado.

A homologação dos equipamentos WiMAX está suspensa há quase 10 meses por uma recomendação informal feita pelo Conselho Diretor. O assunto tem movimentado diversos setores nos últimos meses e gerou um pedido de audiência pública na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI) da Câmara dos Deputados para que os motivos do adiamento sejam esclarecidos.

O autor do pedido de audiência, aprovado em 2008, deputado Paulo Bornhausen (DEM/SC), pretendia provocar a comissão nesta quarta para que o encontro fosse marcado o mais rápido possível. Bornhausen, no entanto, resolveu não ir em frente nesta semana, apostando que a Anatel pudesse deliberar sobre o assunto ainda hoje.

Serpro

Outro caso polêmico também foi adiado nesta quarta-feira. Trata-se do processo envolvendo a renúncia da licença de SCM do Serpro. O parecer da relatora do caso, conselheira Emília Ribeiro, sugere que a empresa retire o pedido de extinção da licença, o que regularizaria a situação da entidade com relação ao provimento de serviços de dados por meio da Infovia Brasília. No entanto, a conselheira exige a resolução dos débitos fiscais da estatal, que não estaria recolhendo encargos do setor, como Fust e Fistel.

A pedido dos demais conselheiros, a relatora retirou o processo da pauta. Os conselheiros pediram mais tempo para analisar o caso e avaliar as opções de solução do impasse envolvendo o Serpro. O tema, porém, deve retornar ao Conselho Diretor na próxima semana. O Serpro vem operando a Infovia Brasília sem licença de SCM desde 2007 por conta do pedido de extinção da outorga. Como não se coloca como prestador de serviços de telecomunicações, o Serpro também consegue oferecer o serviço com tributação apenas pelo ISS, e não pelo ICMS, criando uma situação de competição diferenciada em relação aos concorrentes do setor de telecomunicações.


ComUnidade WirelessBrasil                     Índice Geral do BLOCO