WirelessBRASIL - Bloco RESISTÊNCIA

Março 2012             


24/03/12

• Revolução de 1964 - Os 31 dias de Março (24) - Seleção de notícias do dia 24 Mar 1964 + Leituras complementares

Matérias transcritas nesta página:

Fonte: Acervo da Folha de S. Paulo
[24/03/64]   Reunião dá prisão para marinheiros e fuzileiros

Fonte: Acervo do Jornal do Brasil
[24/03/64]   Ministro expulsa mais trinta marinheiros e prende seu líder (Cabo Anselmo) por falar de política

Fonte: Acervo da Folha de S. Paulo
[24/03/64]   Goulart avança mais um pouco - por Hermano Alves

Fonte: Acervo da Folha de S. Paulo
[24/03/64]   Jango articula no Rio a reforma ministerial - por D'Alembert Jaccoud

Fonte: Acervo do Jornal do Brasil
[24/03/64]   Esquerda pede legalização do PC (Partido Comunista) e monopólio para entrar na Frente Popular

Fonte: Acervo do Jornal do Brasil
[24/03/64]   Goulart pretende encampar em abril as empresas aéreas

Fonte: Acervo do Jornal do Brasil (pág. 03)
[24/03/64]   Marcha da Família já foi repetida em Araraquara e se alastra ao interior

Fonte: Acervo do Jornal do Brasil (pág. 03)
[24/03/64]   Rosário e não tanques

Leituras complementares:

Cronologia das Marchas da Família em todo o Brasil em 1964
Fonte: Google Books
Além do golpe: versões e controvérsias sobre 1964 e a ditadura militar - por Carlos Fico
 


Transcrições:

Fonte: Acervo da Folha de S. Paulo
[24/03/64]   Reunião dá prisão para marinheiros e fuzileiros

RIO, 23 (FOLHA) - Todos os militares que compareceram à reunião realizada na sede do Sindicato dos Securitários, na última sexta-feira, serão presos por determinação direta do ministro Silvio Mota. A reunião teve como motivo a comemoração de mais um aniversário de fundação da Associação dos Marinheiros e Fuzileiros Navais. O chefe da Armada considerou que o encontro foi deturpado havendo se transformado em manifestação política.

--------------------------------

Fonte: Acervo da Folha de S. Paulo
[24/03/64]   Goulart avança mais um pouco - por Hermano Alves

RIO - Enquanto, em Brasília, os deputados da Frente Parlamentar Nacionalista manifestavam ao professor Darci Ribeiro, chefe do Gabinete Civil, os seus temores de que a ofensiva governamental parasse, o presidente João Goulart, no Rio deu mais um passo á frente.
Regulamentando o decreto que tabela os aluguéis (fará isso hoje) e criando procuradores do povo, para fiscalização, Jango quer avançar mais um pouco, na área da reivindicações da classe média e do operariado.

Além disso, o residente determinou que as desapropriações de suas fazendas em Mato Grosso, pela SUPRA, se fizesse com o pagamento das indenizações (a ele) em títulos da dívida pública

BALANÇO MILITAR
O presidente veio de Brasília disposto a fazer uma sondagem nas áreas militares governistas, para ver como elas estão reagindo, depois do comício do dia 13 e depois da passeata realizada em São Paulo pelo seus adversários.

Assim, entrou em contato com o general Jair Dantas Ribeiro, ministro da Guerra, que está hospitalizado e chamou o general Amaury Kruel, comandante do II Exército, para uma análise da situação em São Paulo. E vai conversar com vários generais, nos próximos dias.

O presidente sente que não pode parar a ofensiva, não só porque criou grandes expectativas populares, como também porque os seus adversários procuram rearticular-se com grande rapidez.
 A oposição tenta obter um manifesto dos militares contra o governo, por intermédio do deputado Armando Falcão, convocando generais reformados. E, também, o deputado Falcão que convidar ex-presidentes da República para a assinatura de um manifesto de crítica ao governo.

LEGALIDADE E REFORMA
Jango não quer que a luta seja travada em termos de golpe (do governo) contra a legalidade (da oposição), mas em termos de reformas versus anti-reformas. Considera que os adversários, conseguiram, até certo ponto, colocar a questão em termos que lhes são (a eles) conveniente. E está disposto a tudo fazer para desfazer esta impressão.

A intervenção governamental na chamada "rede da legalidade", a instalar-se em São Paulo, em emissoras particulares, sob o patrocínio de adversário do governo, foi determinada pelo próprio presidente, ao ministro da Justiça, Abelardo Jurema.

Assim, o presidente continua em plena ofensiva, procurado impedir a rearticulação dos seus adversários. A passeata em São Paulo (e agora outra está sendo organizada, com o mesmo nome, no Rio) deu ao presidente a exata noção das forças com que os seus adversários contam.

Para enfrentá-los, Jango parte para a mobilização popular, apoiando-se nos dispositivos sindical e militar, em todo o território nacional. A luta política, portanto, vai intensificar-se, de agora por diante. Esta é a previsão que está sendo feita por todos por auxiliares de confiança do presidente.

POSIÇÃO DE BRIZOLA
Quanto ao entendimento do presidente com seu cunhado, deputado Leonel Brizola, também foi feito, em termos,  Brizola não criará obstáculos a Jango, deixando-o organizar a Frente Popular. MAs está convencido de que, em dado momento, a situação vai exigir uma saída revolucionaria.
Jango, no entanto, já manifestou, várias vezes, nos últimos dias, a sua opinião de que , em hipótese alguma a bandeira da legalidade (especialmente agora, que o senador Juscelino Kubitschek adverte contra  "reformas da bandeira") deve sair do governo.

--------------------------------------

Fonte: Acervo da Folha de S. Paulo
[24/03/64]  Jango articula no Rio a reforma ministerial - por D'Alembert Jaccoud

BRASÍLIA, 23 (FOLHA) - Os articuladores a Frente Popular assinalam, para a próxima semana, o inicio da etapa de "qualidade nova" do governo Jango. Na área do Executivo esperam a recomposição do Ministério, trabalho em que já se empenha objetivamente, no Rio, o presidente da República, procurando ultimar toda as consultas neste período neutralizado pelos feriados. No Legislativo, o PTB deverá apresentar um projeto de emenda constitucional abrangendo todas as sugestões contidas na última mensagem do sr. João Goulart ao Congresso. No âmbito da Frente Popular, que estará formada então, teria início o preparo da campanha pelo plebiscito, a ser desencadeada antes do fim de abril, tão logo se confirme o que não necessita de confirmação - ou seja, que a proposta de emenda não tem viabilidade.

Este não é, entretanto, um quadro de previsões rígidas. é um painel de intenções, simplesmente. As lideranças populares desejam que os acontecimentos sigam este curso provável, mas não estão muito seguras ainda.
O desdobramento real dependerá do primeiro fundamental passo: a troca de Ministério, seu conteúdo e sua extensão.

VACILAÇÃO
Os deputados de esquerda que se encontravam em Brasília à noite (Paulo de Tarso), Almino Afonso, Temperani Pereira, Marco Antonio, Plínio Sampaio, Fernando Santana), reuniram-se na residência do sr. Darci Ribeiro, chefe da Casa Civil da presidência da República. Vinham do conhecimento de boas novas, pois na conferencia mantida na véspera, com o deputado Leonel Brizola, o sr. João Goulart reiterara sua disposição de agir com firmeza e rapidez na adaptação da máquina político-administrativa à linha que decidiu adotar, de público, no comício do dia 13. O presidente manifestou ao sr. Brizola seu desejo de incluí-lo entre seus novos ministros.

A conversa co o chefe da Casa Civil gerou dúvidas. O sr. Darci Ribeiro quis saber como veriam os parlamentares a hipótese de alteração paulatina da administração superior (não só os Ministros estão em causa). Defendeu esta solução não tanto por temor de que a tensão chegue rapidamente a ponto perigoso, o que certamente a aconteceria pela substituição total do Ministério por homens da faixa nacionalista e de esquerda). Considerou-a recomendável, ante a dificuldade de recrutamento de pessoal técnico para recompor, de uma hora para outra, a estrutura administrativa. "Não se pode paralisar a máquina. Antes de retirar alguma peça, é preciso ter-se outra à mão".

De qualquer forma, a atitude do sr. Darci Ribeiro não poderia deixar de ser interpretada como uma sondagem determinada pelo presidente João Goulart.

FIRMEZA
Os parlamentares repeliram a ideia, com a maior veemência. Afirmam que o tempo trabalha em favor das forças conservadoras, amparadas pela estrutura institucional e cujo sistema político, que estende raízes dentro do próprio governo, dá exemplos diários de agressividade e firme unificação. Feita a opção política, urge complementá-la. Senão, a cada dia serão maiores os riscos para o sr. João Goulart. O presidente não teria saída fora de um governo que "desaloje a reação" de posições administrativas e que seja capaz de confirmar suas atitudes pela pronta resposta às resistências a elas surgidas, impondo à luta pelas reformas um desenvolvimento consequente que só a energia, incentivadora do entusiasmo popular, poderia garantir.

O que tem efetiva urgência - proclamam - é a organização de nova estrutura administrativa, eficiente e de nitidez política. A reforma da máquina  far-se-á, em qualquer  caso, mesmo em deficiência de pessoal, com menos prejuízos do que o prolongamento da situação atual.

UNIDADE
Com o reenquadramento do deputado Leonel Brizola, as esquerdas mostram-se novamente unidas na preparação do governo da Frente Popular. O presidente João Goulart deverá colher, no Rio, onde se encontra desde ontem, o mesmo resultado da sondagem que aqui fez o chefe da Casa Civil.

As lideranças das chamadas forças nacionalistas e de esquerda não exigem do presidente a formação de um governo radical. Reclamam, essencialmente, a direção da política econômico-financeira (a esta hora o sr. Leonel Brizola deverá estar se preparando para pleitear novamente a pasta da Fazenda) e querem ser ouvida previamente, sobre cada nomeação.

Apesar das dúvidas, o clima está longe de ser pessimista. O presidente da República, apos discutir com um grupo do qual participava o deputado Marco Antonio, concordou em determinar o estudo de uma instrução da SUMOC que estabeleceria o monopólio cambial. Co consultor-geral da República, prof. Valdir Pires, foi incumbido de redigir a minuta do projeto de emenda constitucional, que o PTB deverá encaminhar,  logo apos a Semana Santa, num desdobramento prático da mensagem presidencial. Não se acredita que o sr. João Goulart tenha condições de recuar, a esta altura.

-----------------------------

Fonte: Acervo do Jornal do Brasil
[24/03/64]   Esquerda pede legalização do PC (Partido Comunista) e monopólio para entrar na Frente Popular

Representantes das forças esquerdistas se reunirão logo mais, às 16 horas, a fim de aprovar o programa mínimo com o qual condicionam sua participação na Frente Popular, e em que pedem a "revogação do Artigo 58 do Código eleitoral e dos Artigos 9 e 10 da Lei de Segurança Nacional e de todas as restrições ao registro e funcionamento de quaisquer partidos, inclusive o Partido Comunista."
Uma minuta desse documento, distribuída ontem à noite e considerada "quase definitiva", reivindica ainda a Contenção quase progressiva da inflação paralelamente à concretização das reformas de base, mediante a reformulação da política de comércio exterior e de câmbio"; monopólio de câmbio e monopólio estatal de comércio de exportação de café.

EMENDA À CONSTITUIÇÃO
O documento sustenta as seguintes emendas constitucionais:
1 - Extensão do direito de voto ao analfabeto;
2 - Elegibilidade dos alistáveis
3 - Derrogação do dispositivo sobre a vitaliciedade da cátedra, sem prejuízo do direito à estabilidade funcional dos respectivos professores de qualquer nível de ensino oficial ou particular;
4 - Reforma dos Artigos 141, parágrafo 16, e Artigo 147, com adoção das emendas indicadas na Mensagem Presidencial;
5 - Deferimento para a competência da União da fixação da cobrança do Imposto Territorial rural, com repasse integral e imediato aos municípios das importâncias arrecadas;
6 - Exclusividade do direito de lavra de jazidas e empresas minerais a brasileiros e empresas constituídas no Brasil com capitais pertencentes a pessoas físicas brasileiras  

Ler mais

---------------------------

Fonte: Acervo do Jornal do Brasil
[24/03/64]   Ministro expulsa mais trinta marinheiros e prende seu líder por falar de política

Cerca de 30 marinheiros e fuzileiros navais serão expulsos hoje, no pátio do Quartel dos Fuzileiros Navais. na Ilha das Cobras, onde estará  entrando, no momento de sua expulsão, o Presidente da Associação dos Marinheiros e Fuzileiros Navais, José Anselmo dos Santos, condenado a dez dias de prisão, pelo Ministro da Marinha, - Todos por terem participado de reuniões de caráter político, onde se manifestaram a favor das reformas de base.
Ler mais

-----------------------------

Fonte: Acervo do Jornal do Brasil
[24/03/64]   Goulart pretende encampar em abril as empresas aéreas

O Presidente João Goulart deverá assinar, no próximo mês, em concentração popular, como no dia 13 na Central do Brasil, o decreto de encampação das empresas nacionais de navegação aérea, uma vez que estudos nesse sentido já estão quase prontos na sua assessoria, conforme relatório da Diretoria de Aeronáutica Civil.
Segundo fontes oficiais, o Presidente da República deverá assina, no mesmo dia, o decreto que estabelece o monopólio estatal da distribuição de petróleo e derivados no País.
DEFICITÁRIAS
As empresas de navegação aérea são, há muito tempo, deficitárias e, apesar do aumento de 22 por cento em suas tarifas, estão pedindo mais 20 por cento no próximo mês.
Ainda segundo os relatórios da Diretoria de Aeronáutica Civil, apresentados ao Presidente da República, através do Ministério da Aeronáutica, só as linhas domésticas devem ser encampadas agora, ficando as internacionais para exame posterior.

---------------------------------

Fonte: Acervo do Jornal do Brasil (pág. 03)
[24/03/64]   Marcha da Família já foi repetida em Araraquara e se alastra ao interior

São Paulo (Sucursal) — Mais de seis mil pessoas reuniram-se sábado na praça principal de Araraquara para repetir a passeata na Capital paulista, dia 19, da Marcha da Família com Deus pela Liberdade. O movimento, organizado pelas senhoras araraquarenses em homenagem aos heróis da Cidade mortos em 1932, culminou com grande comício. Este é o inicio, no interior, de uma serie de marchas democráticas.

DIREITO DE CRER
Uni dos oradores. Sr. Lafaiete Carvalho de Toledo. Presidente do Diretório Regional da UDN, depois de contar o que vira em São Paulo, no dia 19, afirmou que "o povo se levanta como um só homem. na defesa do direito que todos têm de acreditar em um Deus". A marcha, que percorreu as runs principais da cidade, foi nos poucos engrossando, ate chegar à praça, onde os manifestantes deram vivas à democracia e à Constituição repetindo também os slogans lançados em São Paulo.

CANÇÃO A professara Lourdes Siqueira compôs uma canção, "19 de. marco", cantada por todos os manifestantes. A autora, falando do palanque e referindo-se no comício do dia 13, disse que foi "a chama que levantou um brado, um brado de repulsa a tudo que nos propuseram na  Guanabara".
O deputado Osvaldo Santos Ferreira afirmou que nesta época critica devem ser mine-ciclos os partidos políticos e as diferenças sociais irmanando-se todos para defender o Brasil e a liberdade.

HINOS E BANCAS
Depois do Hino Nacional cantado por todos, a manifestação terminou. Logo depois. vários estudantes montaram bancas para recolher assinaturas em um manifesto contra o pronunciamento da ação católica de Belo Horizonte, que declarou que, do ponto-de-vista da religião, nada havia a opor às reformas de base, apoiando ainda o comício do tentado pelo deputado Leonel Brizola naquela Capital. Foram recolhidas, depois da passeata, perto de quatro mil assinaturas. que serão acrescentadas ás 50 mil conseguidas em Belo Horizonte.

MOVIMENTO SE ALASTRA
Crescem no Interior as manifestações anticomunistas e anti-reformistas: em Limeira, concentração em praça pública

reuniu grande número de pessoas ontem à noite; em Presidente Prudente, outra manifestação está programada para o dia 25; em Assis, dia 20, a Liga das Senhoras Católicas promoveu reunião na praça principal; em Santos, diversas organizações estão programando para dia 25 nova Marcha da Família com Deus, pela liberdade. Haverá concentração na Praça dos Andradas c desfile pelas ruas principais. Na Praça José Bonifácio haverá comício, de que deverão participar os Senadores Auro de Moura Andrade, . Padre Calazans, os Deputados Federais Herbert Levi e Cunha Bueno alem da Vereadora paulistana Dulce Sales Cunha Braga, e outras autoridades.
A Câmara Municipal de Santos está planejando o lançamento de grande campanha de educação anticomunista. A Camara Municipal de Itatiba  aprovou requerimento para que seja enviado oficio aos Governadores de São Paulo e da Guanabara, de congratulações pela atitude de ambos. Estudantes de Itapeva lançaram, com apoio dos autoridades, campanha anticomunista.
A Comissão Central em Defesa da Democracia, fundada em grande reunião, está fazendo sucesso. Avaré assistiu, quinta-feira, a um comício, promovido por estudantes e pela Mobilização Democrática Avareense, contra a infiltração comunista no Brasil. São José dos Campos já programou sua Marcha para o 1 de  maio.

MISSÃO DO PSD
As entidades que promoveram a Marcha da Família Com Deus  pela Liberdade, enviaram ao Senador Auro de Moura Andrade e ao Deputado Federal Cunha Bueno, telegrama em que pedem ao PSD uma tomada de posição, em sua convenção Nacional, contra a maléfica Influencia das esquerdas".

Diz o telegrama que o Partido "não pode desonrar-s com intimidades suspeitas com os que desmoralizam a vida pública, pregam a desordem e permitem que os agentes do totalitarismo preparem a destruição do regime democrático".

------------------------------------------------

Fonte: Acervo do Jornal do Brasil (pág. 03)
[24/03/64]   Rosário e não tanques

Brasília (Sucursal) — O Deputado Cunha Bueno (PSD de São Paulo) afirmou ontem na Câmara que os promotores do Comício do dia 13 - devem estar desanimadas com o extraordinário sucesso alcançado pelas donas-de-casa paulistas, que, substituindo o aparato bélico dos tanques de guerra pelos rosários, souberam dar uma demonstração eloqüente de repúdio às tentativas de comunização do País". Comentou o Deputado Cunha Bueno a extraordinária repercussão que alcançou em todo o Pais o movimento cívico que culminou com a realização da Marcha da Família, com Deus, pela Liberdade, em São Paulo. e que "não se destina a aumentar o clima de radicalização que constitui porta aberta à guerra civil"

APÊLO
Pelo contrário — frisou — é um apelo à paz e talvez a única oportunidade para que as homens de responsabilidade aproveitem a lição desse episódio na tentativa de salvaguardar o regime, a Constituição e a própria família brasileira.

Comparou o representante do PSD o comício do dia 13. na Guanabara, e a manifestação da Praça da Sé, destacando que em São Paulo, sem a mobilização de ampla publicidade, paga pelos cofres públicos, e sem a farta condução também subvencionada pelo Governo Federal, e ainda sem poderosa cadeia de televisão, o movimento em defesa da Constituição e da democracia contou com a adesão de 500 mil pessoas.

O Deputado Benedito Cordeiro, líder sindical e representante do PTB da Guanabara, ocupou a tribuna em seguida ao Sr Cunha Bueno para declarar seu contentamento pelo fato de "nenhum dos membros das chamadas esquerdas da Câmara ter levantado qualquer palavra de crítica às manifestações democráticas de São Paulo"


Leituras complementares:

Cronologia das Marchas da Família em todo o Brasil em 1964
Fonte: Google Books
Além do golpe: versões e controvérsias sobre 1964 e a ditadura militar - por Carlos Fico

19/03 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em São Paulo (SP)
21/03 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Araraquara (SP)
21/03 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Assis (SP)
24/03 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Bandeirantes (PR)
25/03 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Santos (SP)
28/03 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Itapetininga (SP
29/03 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Atibaia (SP)
21/03 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Ipauçu, (SP)
21/03 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Tatuí, (SP)
01/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em São João da Boa Vista (SP)
02/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Londrina, (PR)
02/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade no Rio de Janeiro, (RJ)
02/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em São Carlos, (SP)
03/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Uberlândia (MG)
04/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Rio Claro (SP)
05/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Barbacena (MG)
05/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Jaú (SP)
05/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Maceió (AL)
05/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Pádua (RJ)
07/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Campinas (SP)
08/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Amparo (SP)
08/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Franca (SP)
09/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Mogi-Guaçu (SP)
09/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Recife (PE)
11/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Passos (MG)
11/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Presidente Prudente (SP)
12/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Taubaté (SP)
12/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Periqui (SP)
12/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Botucatu (SP)
15/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Campos (RJ)
15/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Capivari (SP)
15/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Lorena (SP)
16/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Dois Córregos (SP)
16/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Lavras (MG)
18/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Conselheiro Lafaiete (MG)
18/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Indaiatuba (SP)
18/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Santa Bárbara D'Oeste (SP)
19/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Jacareí (SP)
21/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Formiga (MG)
22/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Teresina (PI).
25/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Cachoeira Paulista (SP).
26/04 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Campos do Jordão, (SP)
01/05 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Pains (MG)
01/05 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em São José dos Campos (SP)
13/05 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Aparecida (SP)
13/05 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade cm Belo Horizonte (MG)
13/05 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Goiânia (GO)
15/05 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Niterói (RJ)
07/06 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Caxias (RJ)
08/06 - Marcha da Família com Deus pela Liberdade em Magé (RJ)   
(As marchas citadas nesta cronologia foram pesquisadas por Aline Alves Presot)  
Além do golpe: versões e controvérsias sobre 1964 e a ditadura militar - por Carlos Fico


Nota: Este "post", de 2012, atualiza este outro, publicado em 2011:
24/03/11
Revolução de 1964 - Os 31 dias de Março (24) - Seleção de notícias do dia 24 Mar 1964 + Leituras complementares