WirelessBRASIL

   

BlocoRESISTÊNCIA

Coordenador Geral: Helio Rosa (rosahelio@gmail.com)

O "CHEFE": LIVRO SOBRE O ESCÂNDALO DO "MENSALÃO"

 
 WirelessBrasil

Bloco RESISTÊNCIA
Página inicial

Sobre

*

Bloco TECNOLOGIA


Para pesquisar uma palavra ou frase nesta página, utilize a "facilidade" do seu navegador.  Na barra de menus, faça: Editar --> Localizar (Explorer e Firefox) ou Controlar página atual  --> Encontrar na página (Google Chrome) e preencha o campo correspondente na janela aberta.


Nota de Helio Rosa:
Em cada "post" desta série tenho repetido:
Lula e Dirceu querem reescrever a história do "mensalão".
Para facilitar o trabalho da dupla, esta série de "posts" mostra o que está escrito.

Lula, pouca antes de entregar o governo, continuava repetindo a ladainha da "revisão".
Para quem lê jornal, não há muito mistério nesta intenção: Lula, provavelmente, está sendo influenciado por José Dirceu, réu do "processo do mensalão", que empenha todas as suas forças para se defender das acusações, ser absolvido e recuperar seus direitos políticos e, eventualmente, até seu mandato de deputado. Na difícil reconstrução de sua imagem, Dirceu vem escrevendo artigos sobre temas da atualidade. Mas o povo, que não é sandeu, não esqueceu, Dirceu.


Dora Kramer, colunista do Estadão e de vários jornais, escreveu o artigo "Autoabsolvição" em 20/01/11 e recorto estes trechos, em sintonia com este blog:
(...) Aliás, não só o ex-tesoureiro [Delúbio Soares], mas "todos eles", segundo o líder [Cândido Vaccarezza], "já pagaram um preço maior do que seus pecados". Convenhamos, quando há movimentos concatenados não se pode acreditar em coincidências.
Lula acaba de deixar a Presidência da República avisando que além da reforma política e da fome na África vai tratar de "provar que o mensalão não existiu".
Foram cinco dias de julgamento em agosto de 2007, feitos 40 réus (hoje são 38, um foi excluído e outro morreu), envolvidos cinco partidos, três ministros de Estado, 11 parlamentares, um voto de 500 páginas redigidas pelo relator. Atualmente o processo tem 50 mil páginas e julgamento previsto para este ano, segundo os otimistas.(...)
(...) Portanto, ao contrário do que prega o deputado Vaccarezza, ninguém pagou preço algum, porque a Justiça ainda não se pronunciou. Ao pretender reincorporar [ao PT] Delúbio Soares, depois da reabilitação dos mensaleiros hoje integrantes do Diretório e da Executiva Nacional do partido ou em bons postos no governo, o PT quer preparar o ambiente para o julgamento.
Reescreve a seu modo a história, decreta autoabsolvição geral e Lula politiza a questão, tentando transformar o processo em fator de desestabilização do País.(...)

No artigo "Reescrevendo o mensalão" o jornalista Ruy Fabiano comenta:
(...) O escândalo foi investigado por três CPIs e mereceu do então procurador geral da República, Antonio Fernando de Souza, minuciosa denúncia, aceita pelo Supremo Tribunal Federal, em que foram indiciados 40 acusados, que integrariam uma “organização criminosa”, destinada a dilapidar o Estado.
A memória desse monumental contencioso está registrada num livro, “O Chefe”, do jornalista Ivo Patarra, que coloca o ex-presidente no topo dessa organização. Seria ele o chefe. É um documento para a história, que, a prevalecer a versão de Lula, já teria levado seu autor às barras dos tribunais, o que não ocorreu.
A versão do ex-presidente investe no papel de cúmplice do processo golpista a mais alta instância judiciária do país, o STF, que viu procedência no relato do procurador geral – que, nessa hipótese, seria mais um elo decisivo dessa corrente maligna.(...)
HR


O Chefe - por Ivo Patarra

Índice

Capítulo 1
'O governo Lula é o mais corrupto de nossa história'

Capítulo 2
Montanhas de dinheiro: em pacotes, malas, carros-fortes e até em cuecas

Capítulo 3
Lula, o chefe

Capítulo 4
A história do 'acordo criminoso' da chapa Lula/José Alencar em 2002

Capítulo 5
O escândalo do dossiê: flagrante de R$ 1,7 milhão em dinheiro vivo

Capítulo 6
Os 403 dias que marcaram o escândalo do mensalão

Capítulo 7
Na denúncia do procurador-geral da República, mensalão foi ação de 'organização criminosa'

Capítulo 8
O assassinato do prefeito Celso Daniel, coordenador da eleição de Lula em 2002

Capítulo 9
Promotores pediram prisão de Antonio Palocci, acusado por envolvimento com a 'máfia do lixo'

Capítulo 10
Oito ministros do governo Lula. Oito casos de corrupção

Capítulo 11
O presidente do Senado, aliado de Lula. Outro caso de corrupção

Capítulo 12
Sob a conveniência da 'segurança nacional', Lula não revelou gastos com cartão corporativo

Capítulo 13
Em 5 anos, Lula repassou R$ 12,6 bilhões para ONGs. Dinheiro para amigos, mal fiscalizado

Capítulo 14
Traquinagens da família Lula da Silva. As andanças de Genival, o "Vavá"

Capítulo 15
Duas tragédias, apagão aéreo e corrupção na Infraero. Compadre de Lula ganhou milhões

Capítulo 16
STF abriu processos contra 40 mensaleiros. José Dirceu foi acusado de corrupção ativa e formação de quadrilha

Capítulo 17
Dois anos depois, Polícia Federal desmantelou outra organização criminosa nos Correios

Capítulo 18
TCU recomendou paralisar obras irregulares; Petrobras foi campeã em aumento de custos

Capítulo 19
Apesar do desgaste, Lula defendeu José Sarney e retribuiu apoio recebido no caso do mensalão

Capítulo 20
Lula: 'Sarney tem história para que não seja tratado como se fosse pessoa comum'

Capítulo 21
Na crise do mensalão, o PT temeu o impeachment. A oposição não agiu. Lula deu a volta por cima

[© 2010 Por Ivo Patarra - Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons]



Relação dos "posts" sobre o assunto:

03/03/11
"O Chefe", de Ivo Patarra (26) - Livro sobre o escândalo do "mensalão" - Artigo do Globo: "Mensaleiro atormentado assume CCJ" + Livro sobre o mensalão está disponível na internet - Entrevista com o autor + Índice dos Capítulos (links)

Nota de Helio Rosa
Neste "blog" estou transcrevendo, na íntegra, todos os capítulos do livro "O Chefe", de Ivo Patarra. A transcrição é "circular": após o último capítulo voltarei para o primeiro, até o término do julgamento do processo pelo STF.
A coleção dos títulos dos "posts" assim como o Sumário do livro estão nesta página especial
"O Chefe": Livro sobre o escândalo do "mensalão". Mas o Sumário está também no final deste "post".

Em seu artigo
Reescrevendo o mensalão, Ruy Fabiano comenta:
(...) O escândalo foi investigado por três CPIs e mereceu do então procurador geral da República, Antonio Fernando de Souza, minuciosa denúncia, aceita pelo Supremo Tribunal Federal, em que foram indiciados 40 acusados, que integrariam uma “organização criminosa”, destinada a dilapidar o Estado.
A memória desse monumental contencioso está registrada num livro, “O Chefe”, do jornalista Ivo Patarra, que coloca o ex-presidente no topo dessa organização. Seria ele o chefe. É um documento para a história, que, a prevalecer a versão de Lula, já teria levado seu autor às barras dos tribunais, o que não ocorreu.
A versão do ex-presidente investe no papel de cúmplice do processo golpista a mais alta instância judiciária do país, o STF, que viu procedência no relato do procurador geral – que, nessa hipótese, seria mais um elo decisivo dessa corrente maligna.(...)

Neste artigo,
Manobra petista, o jornalista Merval Pereira também comenta os esforços do PT para reabilitar os atuais réus do processo do "mensalão" e a intenção declarada do ex-presidente Lula de reescrever a história. Merval cita José Dirceu, João Paulo Cunha, Delúbio Soares, Sílvio "Silvinho Land Rover" Pereira mas esquece de José Genoino, cotado para Ministro da Defesa. Desculpem a falha do Merval, não foi por mal.

O jornalista Augusto Nunes, sem papas na língua (ou nos dedos?) alerta em seu texto
O governo e o Congresso tentam constranger o STF com a absolvição simbólica dos mensaleiros:
(...) Sim a escolha feita pela bancada do PT não surpreendeu ninguém: essa gente não não desperdiça chances de debochar dos brasileiros honestos. Mas a exumação festiva do presidente da Câmara do Mensalão não foi um ultraje qualquer, alerta a contemplação menos ligeira do episódio. Associada a meia dúzia de infâmias recentes, a afronta atesta que está na fase dos arremates a ofensiva, concebida em parceria pelo governo e pelo Congresso, destinada a constranger o STF e livrar do merecidíssimo castigo a quadrilha que protagonizou o maior escândalo da história da República.(...)
(...) Lula e seus generais podem aprender tarde demais que a esperteza, quando é muita, fica grande e come o dono. A maioria dos ministros sabe que, se os chefões da quadrilha forem absolvidos, o STF terá optado pela rota do suicídio. Os partidários da capitulação precisam ouvir a voz do país que presta: se o Supremo avalizar a falácia segundo a qual o mensalão não existiu, o Judiciário deixará de existir como poder independente.(...)

Recorto de recente artigo da Veja A volta dos inocentes:
(...) O PT conquistou a Presidência da República pela terceira vez consecutiva. Comanda a Câmara dos Deputados e responde pela vice-presidência do Senado Federal. Está à frente de dezessete ministérios e avança sobre cargos de segundo escalão antes comandados por aliados. Ou seja, o partido tem um glorioso presente e um futuro que se anuncia ainda longo e brilhante. Mas isso tudo dá ao PT poder para mudar o passado? Pois é justamente isso que seus líderes estão tentando fazer. Luta-se agora pela absolvição e reabilitação de dirigentes partidários processados por planejar e operar o mensalão, o notório esquema de desvio de dinheiro e compra de apoio no Congresso pelo governo passado. Nas últimas semanas, a estratégia começou a sair do papel numa sucessão de movimentos políticos. Movimentos que têm em comum o propósito de lustrar a imagem de petistas denunciados à Justiça e ao mesmo tempo, influenciar o Supremo Tribunal Federal (STF) a inocentá-los. (...) HR

02/03/11
"O Chefe", de Ivo Patarra (25) - Livro sobre o escândalo do "mensalão" - Artigo da Veja: "A volta dos inocentes" + Capítulo 21: "Na crise do mensalão, o PT temeu o impeachment. A oposição não agiu. Lula deu a volta por cima"
(...) O PT conquistou a Presidência da República pela terceira vez consecutiva. Comanda a Câmara dos Deputados e responde pela vice-presidência do Senado Federal. Está à frente de dezessete ministérios e avança sobre cargos de segundo escalão antes comandados por aliados. Ou seja, o partido tem um glorioso presente e um futuro que se anuncia ainda longo e brilhante. Mas isso tudo dá ao PT poder para mudar o passado? Pois é justamente isso que seus líderes estão tentando fazer. Luta-se agora pela absolvição e reabilitação de dirigentes partidários processados por planejar e operar o mensalão, o notório esquema de desvio de dinheiro e compra de apoio no Congresso pelo governo passado. Nas últimas semanas, a estratégia começou a sair do papel numa sucessão de movimentos políticos. Movimentos que têm em comum o propósito de lustrar a imagem de petistas denunciados à Justiça e ao mesmo tempo, influenciar o Supremo Tribunal Federal (STF) a inocentá-los. (...) HR

19/02/11
"O Chefe", de Ivo Patarra (24) - Livro sobre o escândalo do "mensalão" - Artigo de Augusto Nunes: "O governo e o Congresso tentam constranger o STF com a absolvição simbólica dos mensaleiros"

O jornalista Augusto Nunes, sem papas na língua (ou nos dedos?) alerta em seu texto
O governo e o Congresso tentam constranger o STF com a absolvição simbólica dos mensaleiros:
(...) Sim a escolha feita pela bancada do PT não surpreendeu ninguém: essa gente não não desperdiça chances de debochar dos brasileiros honestos. Mas a exumação festiva do presidente da Câmara do Mensalão não foi um ultraje qualquer, alerta a contemplação menos ligeira do episódio. Associada a meia dúzia de infâmias recentes, a afronta atesta que está na fase dos arremates a ofensiva, concebida em parceria pelo governo e pelo Congresso, destinada a constranger o STF e livrar do merecidíssimo castigo a quadrilha que protagonizou o maior escândalo da história da República.(...)
(...) Lula e seus generais podem aprender tarde demais que a esperteza, quando é muita, fica grande e come o dono. A maioria dos ministros sabe que, se os chefões da quadrilha forem absolvidos, o STF terá optado pela rota do suicídio. Os partidários da capitulação precisam ouvir a voz do país que presta: se o Supremo avalizar a falácia segundo a qual o mensalão não existiu, o Judiciário deixará de existir como poder independente.(...)
HR   Ler mais

"O Chefe", de Ivo Patarra (23) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Artigo de Merval Pereira sobre "reabilitação" dos mensaleiros: "Manobra petista"
Nota de Helio Rosa
Neste "blog" estou transcrevendo, na íntegra, todos os capítulos do livro "O Chefe", de Ivo Patarra.
A coleção dos títulos dos "posts" assim como o Sumário do livro estão aqui:
"O Chefe": Livro sobre o escândalo do "mensalão"
Fiz um pequeno intervalo e no próximo "post" transcreverei o último capítulo.

Em seu artigo
Reescrevendo o mensalão, Ruy Fabiano comenta:
(...) O escândalo foi investigado por três CPIs e mereceu do então procurador geral da República, Antonio Fernando de Souza, minuciosa denúncia, aceita pelo Supremo Tribunal Federal, em que foram indiciados 40 acusados, que integrariam uma “organização criminosa”, destinada a dilapidar o Estado.
A memória desse monumental contencioso está registrada num livro, “O Chefe”, do jornalista Ivo Patarra, que coloca o ex-presidente no topo dessa organização. Seria ele o chefe. É um documento para a história, que, a prevalecer a versão de Lula, já teria levado seu autor às barras dos tribunais, o que não ocorreu.
A versão do ex-presidente investe no papel de cúmplice do processo golpista a mais alta instância judiciária do país, o STF, que viu procedência no relato do procurador geral – que, nessa hipótese, seria mais um elo decisivo dessa corrente maligna.(...)

No artigo transcrito hoje neste "post",
Manobra petista, o jornalista Merval Pereira também comenta os esforços do PT para reabilitar os atuais réus do processo do "mensalão" e a intenção declarada do ex-presidente Lula de reescrever a história. Merval cita José Dirceu, João Paulo Cunha, Delúbio Soares, Sílvio "Silvinho Land Rover" Pereira mas esquece de José Genoino, cotado para Ministro da Defesa. Desculpem a falha do Merval, não foi por mal.
Ler mais

12/02/11
"O Chefe", de Ivo Patarra (22) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Artigo de Ruy Fabiano: "Reescrevendo o mensalão"

24/01/11
"O Chefe", de Ivo Patarra (21) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 20 - Lula: 'Sarney tem história para que não seja tratado como se fosse pessoa comum'

21/01/11
"O Chefe", de Ivo Patarra (20) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 19 - Apesar do desgaste, Lula defendeu José Sarney e retribuiu apoio recebido no caso do mensalão

20/01/11
"O Chefe", de Ivo Patarra (19) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 18 - TCU recomendou paralisar obras irregulares; Petrobras foi campeã em aumento de custos

17/01/11
"O Chefe", de Ivo Patarra (18) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 17 - Dois anos depois, Polícia Federal desmantelou outra organização criminosa nos Correios

14/01/11
"O Chefe", de Ivo Patarra (17) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 16 - STF abriu processos contra 40 mensaleiros. José Dirceu foi acusado de corrupção ativa e formação de quadrilha

09/01/11
"O Chefe", de Ivo Patarra (16) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 15 -"Duas tragédias, apagão aéreo e corrupção na Infraero. Compadre de Lula ganhou milhões"

05/01/11
"O Chefe", de Ivo Patarra (15) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 14 - "Traquinagens da família Lula da Silva. As andanças de Genival, o 'Vavá' "

28/12/10
"O Chefe", de Ivo Patarra (14) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 13 - "Em 5 anos, Lula repassou R$ 12,6 bilhões para ONGs. Dinheiro para amigos, mal fiscalizado"

"O Chefe", de Ivo Patarra (13) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 12 - "Sob a conveniência da 'segurança nacional', Lula não revelou gastos com cartão corporativo"

Nota de Helio Rosa:
Em cada "post" desta série tenho repetido:
Lula e Dirceu querem reescrever a história do "mensalão".
Para facilitar o trabalho da dupla, esta série de "posts" mostra o que está escrito.
Ontem, Lula repetiu a ladainha da "revisão".
Para quem lê jornal, não há muito mistério nesta intenção: Lula, provavelmente, está sendo influenciado por José Dirceu, réu do "processo do mensalão", que empenha todas as suas forças para se defender das acusações, ser absolvido e recuperar seus direitos políticos e, eventualmente, até seu mandato de deputado. Na difícil reconstrução de sua imagem, Dirceu vem escrevendo artigos sobre temas da atualidade. Mas o povo não esqueceu, "seu" Dirceu... Faca de dois "legumes", "seu" Lula...HR

21/12/10
"O Chefe", de Ivo Patarra (12) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 11 - "O presidente do Senado, aliado de Lula. Outro caso de corrupção"

Nota de Helio Rosa:
É boa a sensação do dever cumprido - ou em vias de.  :-)
Em cada "post" desta série tenho repetido esta "nota":
Lula e Dirceu querem reescrever a história do "mensalão".
Para facilitar o trabalho da dupla, esta série de "posts" mostra
o que está escrito

Neste artigo da Folha o jornalista Kennedy Alencar relata partes da entrevista com o presidente Lula no dia 20.
Recorto um trecho (o grifo é meu):
(...) Voltou a dizer que, quando deixar a Presidência, vai “estudar um pouco o que aconteceu no período”. “Não acredito [que houve compra de apoio de parlamentares].”
Diz que foi “lambança eleitoral” e que petistas deveriam ter assumido isso. “Agora, passados cinco anos, de cabeça fria, vou reler a imprensa. Vou ver o que aconteceu em cada jornal, em cada revista, para que a gente possa remontar, [fazer] um juízo de valor do que aconteceu.”(...)

Quem sabe ele começa sua maratona de leituras pelo livro "O Chefe"?  Vou me sentir realizado... :-)
Mas alegria dura pouco.  Acabo de me lembrar que Lula sente azia quando lê o noticiário. E sem o hábito da leitura, se tentar ler "O Chefe", com certeza "vai ter um troço".
Ele disse que vai "reler a imprensa". e nem exclamou o gringo "Oops!" pela escorregadela.
De qualquer modo, essa prometida 'leiturança" certamente é mais uma de suas bravatas. Nada vai mudar: como não vai ler, vai continuar dizendo que não sabia e que continua sem saber de nada...  Não faz mal, nós sabemos! HR

"O Chefe", de Ivo Patarra (11) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 10 - "Oito ministros do governo Lula. Oito casos de corrupção"
Nota de Helio Rosa:
Lula e Dirceu querem reescrever a história do "mensalão".
Para facilitar o trabalho da dupla, esta série de "posts" mostra o que está escrito.

Dentro do tema, recorto dois trechos do comentário recente,
A busca da verdade, feito pelo jornalista Ricardo Noblat em seu blog:
(...) Se digo que Lula sabia da existência do mensalão antes que ela fosse denunciada pelo ex-deputado Roberto Jefferson, posso não estar dizendo uma verdade incontestável – Lula jamais o admitiu. Nem foram recolhidas evidências de sobra de que ele de fato soubesse. Mas posso não estar mentindo. A verdade é também uma questão de julgamento relativo.(...)
(...) Dirceu repetiu mais de uma vez antes e depois de ter sido despejado do governo: “Nada fiz à frente do PT ou como ministro da Casa Civil que Lula não estivesse informado”. Não foi desmentido por Lula nem por ninguém. Dirceu é um dos 40 denunciados no Caso do Mensalão. E então: posso afirmar com razoável margem de acerto que Lula sabia de tudo?(...)
Ler mais aqui.
HR

14/12/10
"O Chefe", de Ivo Patarra (10) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 9 - "Promotores pediram prisão de Antonio Palocci, acusado por envolvimento com a 'máfia do lixo'"

12/12/10
"O Chefe", de Ivo Patarra (9) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 8 - "O assassinato do prefeito Celso Daniel, coordenador da eleição de Lula em 2002"

11/12/10
"O Chefe", de Ivo Patarra (8) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 7 - "Na denúncia do procurador-geral da República, mensalão foi ação de 'organização criminosa'"

10/12/10
"O Chefe", de Ivo Patarra (7) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 6 - "Os 403 dias que marcaram o escândalo do mensalão"

09/12/10
"O Chefe", de Ivo Patarra (6) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 5 - "O escândalo do dossiê: flagrante de R$ 1,7 milhão em dinheiro vivo"

"O Chefe", de Ivo Patarra (5) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 4 - A história do 'acordo criminoso' da chapa Lula/José Alencar em 2002
Nota de Helio Rosa:
Lula e Dirceu querem reescrever a história do "mensalão".
Para facilitar o trabalho da dupla, esta série de "posts" mostra o que está escrito.

07/12/10
"O Chefe", de Ivo Patarra (4) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 3 - Lula, o chefe
Nota de Helio Rosa:
Lula e Dirceu querem reescrever a história do "mensalão".
Para facilitar o trabalho da dupla, esta série de "posts" mostra o que está escrito.

06/12/10
"O Chefe", de Ivo Patarra (3) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 2 - Montanhas de dinheiro: em pacotes, malas, carros-fortes e até em cuecas
Nota de Helio Rosa:
Lula e Dirceu querem reescrever a história do "mensalão".
Para facilitar o trabalho da dupla, esta série de "posts" mostra o que está escrito.

05/12/10
• "O Chefe", de Ivo Patarra (2) - Livro sobre o escândalo do "mensalão": Capítulo 1 - 'O governo Lula é o mais corrupto de nossa história'
Nota de Helio Rosa:
Lula e Dirceu querem reescrever a história do "mensalão".
Para facilitar o trabalho da dupla, esta série de "posts" mostra o que está escrito. HR

Trecho do Capítulo 1:
(...)
Em outro trecho do famoso artigo, Roberto Mangabeira Unger afirmou que "Lula fraudou a vontade dos brasileiros", ameaçava a democracia "com o veneno do cinismo" e tinha um projeto de governo que "impôs mediocridade". E mais: "Afirmo que o presidente, avesso ao trabalho e ao estudo, desatento aos negócios do Estado, fugidio de tudo o que lhe traga dificuldade ou dissabor e orgulhoso de sua própria ignorância, mostrou-se inapto para o cargo sagrado que o povo brasileiro lhe confiou".

Para fazer a vontade de seu vice José Alencar, um homem leal e doente, Lula só precisaria ter dito que gostaria muito de nomear alguém indicado por ele, mas não poderia ser o homem que o acusara de chefiar o governo mais corrupto da história. Poderia ser qualquer um, menos aquele que conclamara o Congresso a derrubá-lo da Presidência da República, por corrupção. Por que Lula nomeou Roberto Mangabeira Unger, autor de acusação tão séria? Nas páginas deste livro, o leitor será convidado a encontrar a resposta. (...)

04/12/10
"O Chefe", de Ivo Patarra (1) - Livro sobre o mensalão está disponível na internet - Entrevista com o autor + Índice dos Capítulos (links)
Nota de Helio Rosa:
Lula e Dirceu querem reescrever a história do "mensalão".
Para facilitar o trabalho da dupla, esta série de "posts" mostra o que está escrito. HR

(...) O jornalista e escritor Ivo Patarra, 47 anos, inova ao lançar o seu quarto livro em formato livre e acessível na internet. Repórter com trabalhos destacados no gênero investigativo e autor de outros três livros, nesse e-livro – por ele denominado livro-blog – é apresentada a história dos 13 meses do maior escândalo de corrupção ocorrido no Brasil. Os acontecimentos aparecem em ordem cronológica, mês a mês, dia a dia, reunindo 850 eventos pesquisados em 700 laudas, que estão em domínio público (...)